Assisti: Em Luta pelo Amor (Dangerous Beauty)

77_3_kinopoisk.ru-Dangerous-Beauty-640669

Se você não gosta de filmes de época ou de romances sobre prostituta, nem se dê trabalho de continuar a ler…agora se você possui a mente aberta, gosta de História, Sociedade, e quer saber mais sobre A MULHER, é aqui mesmo que deveria estar e ler essa indicação de filme!

Sinopse

Impedida de se casar com Marco Venier (Rufus Sewell) por ser de classe inferior, Veronica Franco (Catherine McCormack) dá o troco transformando-se em uma famosa cortesã da velha Veneza, disputada por reis e poderosos que se sentem completamente seduzidos por sua inteligência, fascínio e sensualidade. Decidida a superar as rígidas barreiras impostas pela sociedade de sua época, Veronica mantém viva sua paixão por Marco. Mas sua grande cultura e seu charme requintado também a tornam temida – e ela tem de enfrentar a justiça de Deus e dos homens em um tribunal. Um relato cruel e apaixonante de uma história verídica, que mostra Veronica Franco como a bela e sedutora cortesã veneziana que causou tremendo impacto não só na vida dos homens que a conheceram e desejaram, mas também na sociedade em que viveu.

Mais informações: Filmow.

Bom, por onde começar o que me faz ser tão encantada por esse filme….eu tava lá quando vivia com meus pais, procurando algo pra assistir na SKY (como sinto falta disso) e geralmente TV paga, tem muitos canais com muitos filmes aleatórios, ai me deparei com esse…e por ser época e pela sinopse, já grudei os olhos!

099391

Já começando pela protagonista ser ruiva (ruiva puxa-saco de ruiva), mas é claro que colocaram uma ruiva porque sempre somos apontadas como as boas de cama, bla bla bla….segundo, pelo benefício de ser uma cortesã na Europa Moderna…opa, como assim, beneficio?

Não se você continua a ler aqui ou pode querer dar uma pausa e ler o artigo O Império da Cortesã: as Amantes Reais e seus Poderes quase Ilimitados do meu amigo Renato Drummond em seu Blog Rainhas Trágicas, parceiro do Lady Cult também, que dá uma explicada melhor sobre o Mundo das Cortesãs (e o pior que indico pra ele ver esse filme que to resenhando para vocês, e ainda não viu, vê se pode uma coisa dessas).

Eu também já disse que não tenho nada contra a prostituição, até fiz resenha sobre Bruna Surfistinha, o Filme em meu outro blog, e explico lá porque…mas acho que vou acabar falando por aqui também o porque…

Agora sem referências, falando diretamente, porque não tenho nada contra ser uma Cortesã nos tempos antigos? 

Em relação a mulher, os valores e as possibilidades eram bem invertidas em comparação a hoje, os valores e possibilidades atualmente são legais por um lado mas não são diferentes por outro, já explico…

A Mulher (desde o surgimento da Igreja Católica) custou a deixar de ser vista como um objeto de contrato nupcial, progenitora e escrava do homem, seja do pai e irmãos antes de casar, seja do marido e dos filhos, após constituir a familia.

E dependendo da região, cultura e família, existiam as que com grande poder aquisitivo podia saber ler e ter um pouco de cultura, e as que mesmo sendo nobreza, eram proibidas de serem inteligentes e cultas, só deveres domésticos ou de saber se apresentar socialmente, promover eventos, e toda aquela socialização da política.

Porque a Igreja gerava o machismo que só o Homem podia ter inteligência e opinião.

E também na parte do sexo, mulher não podia sentir prazer, e só podia ter relações sexuais com seu marido para procriação.

Sexo, prazer, inteligência e opinião são os 4 itens que diferenciavam pra caramba a Mulher Casada da Mulher Cortesã.

A Mulher Cortesã, era aquelas que os homens faziam questão de se deitar, primeiro pelos seus conhecimentos e liberdade na prática da cama, e segundo por poderem ter uma pessoa do sexo feminino para poder conversar e ter opiniões, elas eram treinadas para saber servir em tudo, do físico ao intelecto.

Claro, que tudo isso era desse modo, porque a Igreja ou a Sociedade ditava que uma mulher pura, casta, temente a Deus, não se metia em opiniões de Homens (sim, detesto a Igreja Católica e o machismo que ela gerou, porque na Idade Antiga não era assim). E ai você imagina, quantos casamentos poderiam ter se tornado relacionamentos, mas não puderam devido ao medo fervoroso que havia com relação a sociedade e religião?

É dificil admitir, pensando em todos os prós, contras, valores, dignidade e honestidade com você mesma que “Preferia ser uma cortesã em aquela época“, mas eu acharia muito pior ser submissa ao machismo, a um religião e sociedade ignorante, a uma época que preferiria me ver burra e sem papo, me tire qualquer coisa, mas não me tire o poder de ser inteligente e de ter opinião. Mas se eu fosse uma, gostaria de ter sido só de um homem como a Madame Pompadour com o Rei Luís XV (lá no artigo do Renato que citei acima fala sobre eles), que é um exemplo de muitas relações de verdadeiro amor entre amantes que nos próprios casamentos, que o destino ou carma não permitiam ser casados, mas tinham muitas esposas que também não ligavam e tinham também o seu ou seus, muitos casais reais eram cientes de que casamento era só um contrato, e na hora da política estavam juntos (é triste, mas era assim, e a Igreja que fazia isso viu).

E o Amor nisso tudo também…casar por casar? eu não admito nem ficar por ficar, me entregar a alguém sem ter sentimento, imagina me submeter a uma aliança com um estranho até o fim da vida…o amor, infelizmente só era permitido aos pobres, e acho que isso continua até hoje. 

E foi por uma desilusão do Amor devido a sociedade, época e Igreja, que Verônica se torna A CORTESÃ de Veneza muito digna de admiração! E o que mais gosto dela, é que cada cortesã, tinha uma especialidade intelectual para entreter e conversar com os homens, a dela, era POEMAS/POESIAS, amo!

Também vemos o quanto os homens desfrutam das mulheres e são mal agradecidos, começam a deixá-las se sentir no Paraíso por serem Cortesãs, e depois a indignação, quando a Inquisição aparece, mesmo após terem salvo a cidade politicamente falando.

É, sei que você leitora atual, sem quase nenhum conhecimento histórico, e com uma mente fechada que a sociedade machista, católica a criou, deve estar achando um absurdo eu admirar esse mundo, tudo isso que a mulher passava, sem eu ficar indignada pelo simples ato da prostituição e traição da parte dos homens em relação ao casório, mas são mulheres que devem ser lembradas mesmo exercendo a profissão errada e mais antiga do mundo, porque também se sacrificaram, também se submeteram a coisas que outras mulheres não suportariam, e salvaram casamentos, relações politicas/econômicas/sociais, é um absurdo sim, a MULHER que é o ser que tem a função de gerar vida se submeter a isso, mas sabe quando isso vai acabar? Quando uma mulher ser tudo que um homem quer e quando um homem admitir que quer uma mulher que seja de tudo pra ele.

Pelo menos nos tempos antigos havia uma separação bem explicita, hoje, vejo mulheres abusando dos direitos e conquistas que temos hoje (que essas mulheres do passado sofreram para ter) e desperdiçando também…

Hoje, você PODE ser inteligente, culta, com muito papo, e conversar livremente com os homens sem compromisso nenhum, mas você faz isso? Não, escuto de muitas…”ah, deixa essas coisas para eles conversarem entre eles” ou “ah, não curto muito essas nerdices“, (já pensou errado em referir a papo inteligente como nerdice) “homem gosta de mulher bonita e arrumada“, sim, homem gosta disso, beleza é pra atrair, conteúdo é pra ficar, e vocês sabem que homem gosta de gente de conteúdo, a não ser que ele seja aquele trouxa machista que gosta de mulher submissa e não uma parceira, desses eu corro longe…existem e sempre irão existir…

Mas também outro tipo de mulher que abusa e desperdiça de direitos…a Mulher Independente. Sim, a minha bronca não é só para as fúteis e acomodadas…é para você que também usufrui até demais com o que as mulheres do passado sofreram. Vocês se acham tanto por poderem fazer o que quiser, que até chegam a querer fazer a função do homem, a querer aniquilá-lo de suas vidas, o que acaba gerando um bando de homens acomodados, e gerando para você mesma, uma solidão sem fim.

E as que mais abomino atualmente, a que bebe pra caramba, porque diz que pode, porque que pode mais que o homem, porque é independente, por que isso é ter direitos iguais, etc.
A acomodada (que é o contrário da Independente) que simplesmente quer aplicar o golpe em um homem e a vida fica bem assim, tenha vergonha! você não pode falar nenhum “A” sobre uma mulher que se prostitui, porque isso sim é se prostituir, ficar com alguém só pelo o que tem?!? O cara soa, corre, trabalha, batalha para ter uma vida boa, pra você simplesmente ir lá usufruir de graça? Ah vah! Essa é que não sabe realmente e acaba totalmente com o conceito do AMOR. E depois falam que o Homem não sabe amar…
E as que fazem manifestações peladas pelos direitos de mulheres, etc. As que realmente perdem toda a classe por ter a liberdade que tem hoje.

Ah me faça o favor! Em muitas noticias, situações e comentários que ouço e leio por ai me faz ter vergonha de ser mulher, me diz, tenho mil nomes de Grandes Mulheres da História, e me diz se UMA perdeu a CLASSE, a DELICADEZA, a POSTURA, a ETIQUETA, se baixou o nível para conquistar o que temos hoje? NENHUMA! 

Nenhuma deixava de ser uma Lady! Ou melhor, de ser uma verdadeira MULHER, podia ser pobre ou rica, mas tinham ética, moral, bons costumes, comportamento, não davam chance de um homem sequer lhes permitir se inferiorizar a eles, por mais que fosse dificil, por mais que a dor fosse grande, o carma fosse violento, todas de CABEÇA ERGUIDA, bem vestidas e olhando o homem comO um ignorante por subjugá-la inferior a ele – “deixo suas contas com Deus, quando for morrer“.

E por esse e muitos outros motivos que o Lady Cult existe…lembrar você, Mulher, porque você é a Mulher de hoje, e qual a Mulher está deixando de ser…

Bom, eu sei que falei mais sobre a Mulher em geral, presente x passado do que o próprio filme, se caso despertar o interesse, porque não estou aqui para fazer spoiler, apresento filmes que devem ser assistidos tanto por mulheres como por homens, que ajudem a refletir, conhecer e valorizar um pouco mais Mulher e a História, assistam o trailer desse que resenhei:

Como o filme é de 1998, não terá trailer pra assistir ou filme de boa qualidade pra baixar, eu tenho o meu que comprei de uma locadora que estava fechando ou foi em alguma loja de DVDs baratos (tipo Americanas), mas vale cada centavo ou cada minuto baixado!

Deixe seu comentário!

Comentários

6 comentários

  1. Renato

    Excelente resenha do filme. Fiquei mega curioso agora. Parabéns!

    1. EGO respondeu Renato em

      Obrigada meu amigo! 😀

  2. Adilson Adriano

    Eu estou apaixonado pelo filme… Estou esperando ansioso que um amigo me traga o filme em italiano. A confissão de Verônica em italiano é uma verdadeira poesia.

    1. EGO respondeu Adilson Adriano em

      Olá Adilson! Desculpa a demora para responder…que bom que você adora! Opa, vou pegar essa dica italiana para mim! hehehe
      Volte sempre! 😀

  3. Joseane Aline da Silva

    Eu estava procurando pelo nome desse filme (e não lembrava) que assisti há tempos atrás e achei seu blog. Achei ótimo seu artigo. Estou hoje numa encruzilhada. Sou solteira, moro sozinha, saí de um relacionamento cheio de traições e mentiras e me vejo numa encruzilhada: dois homens, um novo e um casado me chamando para sair. Estou resistindo porque não é o que quero para mim. Eu ouço minhas amigas falando que casamento é algo fadado a rotina. Já vivi isso. Eu me pergunto, será que é verdade? Antigamente aquelas mulheres eram famosas e tinham privilégios, hoje existem muitas amantes que não tem privilégio nenhum e estão sozinhas com suas fraquezas enquanto homens estão em suas casas com suas esposas. Acho que a sociedade está muito hipócrita. E outra coisa: será que podemos ter um casamento feliz, ser fiéis e ter uma vida sexual incrível. Dizem que sim… mas parece que é coisa de minoria…

    1. EGO respondeu Joseane Aline da Silva em

      Respondido por email mesmo, obrigada pela sua visita! Volte sempre! ;*